Secretaria de saúde deve abrir novos leitos de UTI para pacientes de Covid

A Secretaria Municipal de Saúde de Dourados deve abrir nos próximos dias mais cinco leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para suporte e internação de pacientes do coronavírus. A informação foi confirmada pelo secretário municipal de saúde, Frederico de Oliveira Weissinger, durante transmissão ao vivo realizada nesta segunda-feira (1) na página do Jornal Dourados News no Facebook (confira aqui).

Em Dourados, até ontem, conforme dados do boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura, são 20.770 casos confirmados da Covid-19 e 258 mortes. O município dispõe atualmente de 32 leitos de UTI Covid, sendo 16 na rede pública e 6 habilitados na rede privada. Ainda conforme o boletim, a taxa de ocupação de leitos era de 85%.

O cenário atual pesou para que fossem iniciadas tratativas junto ao Hospital Santa Rita, que é uma das unidades de referência no enfrentamento a pandemia. O hospital é da iniciativa privada, mas a abertura de leitos é feita com convênio com a administração municipal para atendimento de pacientes via SUS (Sistema Único de Saúde).

“Estamos em um momento da pandemia onde o há um número insuficiente de leitos no Brasil inteiro, não é uma coisa só em Dourados. Temos dois hospitais da cidade que estão dispostos a ter mais leitos de UTI Covid, um é o Hospital Evangélico e o outro é o Santa Rita. Porém abrir mais leitos não resolve o problema. A sociedade precisa entender que essa abertura é limitada”, alertou Weissinger.

O secretário destacou que a demanda de internações em UTI desde o início da pandemia em março do ano passado, oscila entre 80% e 90% na maioria das vezes e em alguns momentos atinge 100% de ocupação de leitos, como revelam boletins recentes. Conforme dados da SES (Secretaria Estadual de Saúde), na macrorregião que abrange Dourados e mais 32 municípios, são 128 leitos de UTI ativos no momento, de Covid e também para atendimento geral.

“Percebemos um comportamento bastante cíclico no que diz respeito a taxa de ocupação. O que estamos fazendo são novas negociações para tentar ampliar ao máximo esse número de leitos de UTI, porém nós temos uma questão estrutural e de recursos humanos bastante limitada. Não tem como chegar e dizer que vamos abrir 100 leitos de UTI em Dourados, não tem mão de obra para isso”, explicou.

O secretário refere-se ao fato de que a abertura de um leito envolve, além de equipamentos, a contratação de mão de obra especializada. Um leito de UTI é utilizado para suporte a pacientes graves. Com relação ao coronavírus, na forma mais complicada da doença, com quadros de Síndrome Respiratória Aguda Grave, esse tipo de internação é essencial para manutenção da vida. Isso pela necessidade de uso de respiradores e monitoramento próximo das equipes de saúde.

Teste 15