Incêndio em serra do Pantanal de MS mantém em alerta bombeiros e brigadistas por conta dos focos de calor e alta temperatura.

Os incêndios no Pantanal que atingem algumas reservas da Serra do Amolar, na divisa de Mato Grosso com Mato Grosso do Sul na tarde desta segunda-feira (28), têm deixado em alerta os bombeiros e brigadistas que trabalham na força-tarefa. Segundo meteorologista, Natálio Abraão, a temperatura na região que sofre ainda com os focos de calor, chegou a 39 graus com sensação termina de 46 graus.

Conforme o governo do estado, a força-tarefa é composta por cerca de 65 homens, formada por bombeiros de MS e PR, marinheiros, brigadistas do Ibama, ICMbio e de organizações não-governamentais. Eles estão enfrentando diariamente situações críticas com os incêndios aumentando devido a seca extrema no bioma e altas temperaturas.

Em comparação a 2019, quando setembro teve 2.887 focos detectados em 30 dias, o mesmo mês de 2020 já apresenta uma alta de 109%. O número de focos neste mês está 211% acima da média histórica do Inpe para setembro, que é de 1.944 pontos de incêndio.

Nesta segunda-feira (28), por volta das 15h, uma guarnição atendeu emergência na Fazenda Santa Tereza, onde o fogo queimou uma casa de moradores e se alastra pela vegetação nativa. Pouco antes, por volta de 13h, um outro incêndio, que há uma semana destrói o entorno da serra, chegou a 30 metros da sede de onde está instalada a base das operações antifogo.

Por conta da densa fumaça causada pelas chamas, a navegação fluvial também tem sido prejudicada. Uma estrutura foi montada para centralizar as ações nesta região, situada próxima à divisa de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.

Um avião está operando no local e mesmo com pouca visibilidade, conseguiu realizar seis lançamentos de água, totalizando 12 mil litros, na área crítica – no vale entre as baías Mandiore e Taquaral. Neste ponto, 30 homens abrem uma frente de defesa para impedir a progressão do fogo para a Serra do Amolar e outras duas reservas.

Os bombeiros e brigadistas se revezam na formação de uma linha negra (contrafogo) a 10 km do fogo que avança pelo Vale da Morraria. Esse fogo também se deslocou no sentido oeste, em direção da Fazenda Santa Tereza, situada na fronteira com a Bolívia. A equipe de bombeiros que se deslocou para a fazenda levaria 40 minutos de barco e andaria 18 km para chegar ao local.

Recorde

O Pantanal já registra o número mensal mais alto de focos de incêndio desde o início da série histórica do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em 1998: foram 6.048 pontos de queimadas registrados no bioma desde o dia 1º de setembro até quarta-feira (23), o dado mais recente. O recorde mensal anterior era de agosto de 2005, quando houve 5.993 focos de incêndio no bioma.

Em comparação a 2019, quando setembro teve 2.887 focos detectados em 30 dias, o mesmo mês de 2020 já apresenta uma alta de 109%. O número de focos neste mês está 211% acima da média histórica do Inpe para setembro, que é de 1.944 pontos de incêndio.

Fonte: https://g1.globo.com/ms/mato-grosso-do-sul/noticia/2020/09/28/incendio-em-serra-do-pantanal-de-ms-mantem-em-alerta-bombeiros-e-brigadistas-por-conta-dos-focos-de-calor-e-alta-temperatura.ghtml

Teste 15