Homem que matou a ex é condenado a 17 anos de prisão.

 

Em julgamento realizado nesta quinta-feira (17/9), na 1ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, Jesus Ajala da Silva, o “palhaço Sabiá”, acusado de assassinar uma merendeira na Capital foi condenado a 17 anos de reclusão e 10 dias multa por feminicídio e ocultação de cadáver, em regime inicial fechado.

De acordo com a denúncia, no dia 9 de janeiro de 2019, por volta das 14 horas, no bairro Portal Caiobá, em Campo Grande, o réu matou a vítima e ocultou o cadáver. O acusado teria efetuado golpes de arma branca na região do tórax da vítima, o que resultou em sua morte.

Ele teria agido por motivo torpe, por não aceitar o término do relacionamento nem o fato de a vítima estar se relacionando com outra pessoa.

O Conselho de Sentença condenou o réu por homicídio qualificado, por motivo torpe e feminicídio em situação de violência doméstica e familiar, cuja pena foi fixada pelo juiz titular da vara, Carlos Alberto Garcete de Almeida, em  16 anos de reclusão. Além disso, o magistrado fixou a pena de 1 de reclusão e pagamento de 10 dias-multa pelo crime de ocultação de cadáver, o que totaliza 17 anos de reclusão e 10 dias multa.

Esta foi a primeira sessão de julgamento realizada pela 1ª Vara do Tribunal do Júri após o período de interrupção dos trabalhos, em consequência da pandemia. O julgamento foi realizado sem a presença de público, como medidas de biossegurança adotadas pelo juízo da vara.

Fonte: Dourados News (www.douradosnews.com.br)

Teste 15