Dourados pode ter eleição com maior número de candidatos à prefeitura.

 

Dourados pode ter neste ano a eleição municipal com o maior número de candidatos a prefeito desde 1988, quando houve a redemocratização do país. Findadas as convenções partidárias, na quarta-feira (16), sete nomes foram referendados para disputar a sucessão de Délia Razuk. Em 1996 foram seis os postulantes à chefia do Executivo.

No entanto, esse cenário só será confirmado em 26 de setembro, prazo final estabelecido pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para registro das candidaturas. (clique e confira os nomes dos pré-candidatos).

Na mais recente eleição municipal, em 2016, foram cinco candidaturas na majoritária e Délia foi eleita com 43.252 votos (39,82% do total). Ela superou o então deputado federal Geraldo Resende (PSDB), votado por 40.149 eleitores (36,96%), o deputado estadual Renato Câmara (PMDB), por 20.708 (19,06%), Ênio Ribeiro (PSOL), por 2.445 (2,25%) e Wanderlei Carneiro (PP), por 2.065 (1,90%).

Antes, em 2012, houve quatro postulantes à Prefeitura de Dourados. Murilo Zauith (então no PSB) foi reeleito com 65.794 votos, a frente de Keliana Fernandes (então no PSC), votada por 34.132 eleitores, Doutor Delane (PSDC), escolhido por 3.806 votantes e Zé Roberto (PSOL), com 1.659 votos.

Zauith havia chegado ao poder na eleição extemporânea de 2011, que teve quatro candidatos. Pelo DEM, obteve 70.906 votos, ante os 12.392 de Geraldo Sales Ferreira (PSDC), 3.193 de Genival Antonio Valeretto (PMN), e 2.060 de José de Araujo Oliveira (PSOL).

Em 2008, quando Ari Artuzi (PDT) foi eleito com 45.182 votos, o eleitorado douradense tinha, ao todo, três opções de voto. O segundo colocado naquele pleito, Murilo Zauith (DEM), foi escolhido por 39.614 eleitores, e Wilson Biasotto (PT), por 21.821.

Na eleição de 2004, eram três candidatos à prefeitura e Laerte Tetila (PT) foi reeleito com 53.208 votos, a frente de Bela Barros (PDT), votada por 42.409 eleitores, e José Roberto Domingos da Costa (PRONA), por 2.983.

O petista havia sido eleito pela primeira vez em 2000, quando recebeu 36.045 votos e superou Murilo Zauith (então no PSDB), votado por 31.328 eleitores, Mordônio Alencar (PSB), por 11.807, e George Takimoto (PDT), por 7.280.

Em 1996, ano da eleição com mais opções de votos para o comando do município, Antônio Braz Genelhu Melo (PMDB) foi eleito com 37.797 votos, seguido por José Elias Moreira (PTB), opção de 26.581 eleitores, Lori Gressler (PPB), 7.814, Ribeiro Arce (PT), 4.525, Marcos Antônio dos Santos (PRONA), 345, e Helio Bernardino da Silva (PSC), 176.

O pleito de 1992 tinha três candidaturas postas. Humberto Teixeira (PRN) foi eleito com 30.243 votos. Superou Antonio Luiz Nogueira (PMDB), votado por 27.040 eleitores, e Egon Krakhecke (PT), por 8.440.

Na primeira eleição municipal desde a redemocratização do país, em 1988, três candidatos disputaram a Prefeitura de Dourados e Braz Melo (PMDB) foi o eleito, com 23.590 votos. No mais acirrado pleito da história do município, superou José Elias Moreira (à época no PTB), opção de 23.550 eleitores, Laerte Tetila (PT), de 3.612, e Alaercio Abrahão Santos (PSDB), de 934.

Fonte: Dourados News (www.douradosnews.com.br)

Teste 15